QUALIDADE DE VIDA | Servidores de comarcas do interior são atendidos pelo programa de qualidade de vida

  QUALIDADE DE VIDA | Servidores de comarcas do interior são atendidos pelo programa de qualidade de vida “Tive uma percepção da minha saúde com detalhes que ainda não tinha feito em consultas médicas. Muito bom o Tribunal oferecer esses serviços para as comarcas do interior”, disse o oficial de justiça de Santa Qu...
Mais Informações

MEIO AMBIENTE | Curso sobre licitações sustentáveis incentiva servidores a incluírem critérios de sustentabilidade nas compras do TJMA

O curso “Licitações Sustentáveis” realizado pelo Núcleo de Gestão Socioambiental, em parceria com a Escola Superior da Magistratura (Esmam), mostrou na teoria e na prática, como o Judiciário maranhense pode incluir critérios de sustentabilidade nos processos licitatórios. As capacitações oferecidas pelo...
Mais Informações

SUSTENTABILIDADE | Separação de resíduos em setores do Centro Administrativo começa a se efetivar

Está começando a se efetivar, no Centro Administrativo do Tribunal de Justiça do Maranhão, o projeto-piloto de separação de resíduos. Servidores dos setores do prédio já podem se mobilizar e dar início a mais uma iniciativa sustentável no Judiciário maranhense. O Núcleo Socioambiental dará o apoio ...
Mais Informações

Projetos

Plano de Logística Sustentável

O Plano de Logística Sustentável (PLS) é um importante aliado do  Tribunal de Justiça do Maranhão (TJMA)  na efetivação de ações voltadas para a responsabilidade socioambiental. Desenvolvido pelo Núcleo Socioambiental, o Plano passou a vigorar em março de 2016, no âmbito do Judiciário maranhense.

O objetivo é promover práticas ecoeficientes no ambiente de trabalho, com a finalidade de adequar o gasto público ao uso sustentável dos recursos naturais e bens públicos, além da redução do impacto negativo das atividades do órgão no meio ambiente.

Aprovado em sessão plenária, o documento está de acordo com a Resolução nº 201/2015, do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), que orienta a criação de unidades e núcleos socioambientais e estabelece suas competências. O documento segue também orientações do programa Agenda Ambiental na Administração Pública (A3P), criado pelo Ministério de Meio Ambiente.